Como lucrar com vídeos de compras em supermercado e vídeos de limpeza: Duas experiências

Publicado por: PROTV
20/03/2024 01:13 PM
Exibições: 150
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

Revolucionando a Produção de Vídeos: O Impacto do Sora na Criação de Conteúdo Digital

 

No verão de 2022, Mirna passava os fins de semana sozinha em casa. Decidiu então fazer alguns vídeos sobre produtos de limpeza. Como sempre apreciou esse processo, sentiu-se inclinada a compartilhar seu conhecimento com os outros.

 

“O mais interessante foi que, em um desses vídeos, eu erroneamente disse que estava lavando louça com limpador de chão. Recebi muitos comentários, alguns brincando comigo e outros perguntando onde comprar o produto. O vídeo teve cerca de 40.000 visualizações através dos comentários, o que me surpreendeu. Foi quando percebi: 'Uau! As pessoas estão realmente interessadas nisso',” lembra a blogueira.

 

O primeiro contrato publicitário surgiu depois de um mês de blog. Mirna fez um vídeo sobre uma pasta de limpeza rosa que teve 500.000 visualizações. Como resultado, o produto esgotou rapidamente nos mercados locais. Mirna, então, compartilhou com seus seguidores a localização de outra loja, e também esgotou seu estoque da pasta. Isso chamou a atenção da empresa, que enviou para Mirna uma linha completa de seus produtos.

 

Diferentemente de outros blogueiros, a maioria dos vídeos de Mirna possui narração. Ela acredita que, ao compartilhar conselhos e histórias, torna seu conteúdo único.

 

“No começo do meu blog, eu era uma estudante do terceiro ano de Politécnica. Estudei uma especialização em tecnologias de informática em biologia e medicina. Acredito que minha educação é útil para o blog, pois me ajuda a entender técnicas e a analisar os dados do público,” explica Mirna.

 

Atualmente, Mirna faz do blog sua principal ocupação. Ela produz conteúdo para marcas e paga impostos como uma empresa registrada. Em média, 3 a 4 de seus 12 a 15 vídeos mensais são patrocinados. O custo de um vídeo dedicado a uma única marca é de R$ 3 mil, mas esse preço pode variar dependendo da quantidade de produto apresentado.

 

"Além disso, recebo mais por vídeos que incluem produtos da marca xxxyz. Essa cooperação é contratual e, portanto, mais lucrativa do que a média,” acrescenta a blogueira.

 

Mirna costuma rejeitar ofertas de troca de produtos e só aceita parcerias remuneradas. Ela considera o equipamento profissional e a constante atualização uma grande despesa, o que torna a monetização essencial.

 

“Algumas marcas foram rejeitadas porque seus produtos ou ideologias não se alinhavam com o conteúdo do meu blog. Outras foram recusadas porque exigiam um número específico de visualizações, o que não posso garantir devido à imprevisibilidade dos algoritmos das plataformas,” explica Mirna.

 

Apesar dos desafios, Mirna acredita que o blog mudou sua vida para melhor. Ela agora trabalha em casa, define seu próprio horário e se sente grata pela oportunidade de seguir sua paixão.

 

Outra blogueira, Louise, descobriu sua paixão por criar conteúdo na adolescência, mas a família não a apoiava. Depois de tentar manter um blog sob pseudônimo em redes sociais, ela desistiu da ideia por cerca de 1,5 anos até encontrar sua verdadeira vocação: vídeos de organização e limpeza.

 

“Queria mostrar que a organização é fácil e acessível a todos. Também queria inspirar as pessoas a criarem um espaço ao seu redor que exigisse o mínimo de tempo para manter a limpeza,” diz Louise.

 

Atualmente, Louise dedica quase todo o seu tempo ao blog, produzindo conteúdo para marcas e vendendo publicidade em suas redes sociais. Seus vídeos no TikTok custam R$ 3 mil cada, enquanto os preços para outras plataformas variam. Ela colaborou com marcas como Avon e recusou ofertas que não se alinhavam com sua marca pessoal.

 

“Avalio cada oferta de publicidade com base em se eu compraria o produto sem a publicidade. Se sim, aceito o acordo; se não, recuso,” explica Louise.

 

Ambas as blogueiras concordam que os vídeos de organização e limpeza atraem os espectadores devido ao relaxamento que proporcionam e à oportunidade de se identificarem com a vida cotidiana dos criadores de conteúdo. Esses vídeos oferecem uma fuga temporária do estresse do dia a dia e incentivam os espectadores a criar espaços mais funcionais e acolhedores em suas próprias casas.

 

Mas há algo que pode mudar significativamente na forma e personagens de vídeos

O nome da mágica é SORA, a introdução do Sora poderia revolucionar ainda mais a produção e criação de vídeos e personagens. Com essa nova ferramenta, poderíamos ter várias "blogueiras Mirnas ou Louises" atuando em segmentos distintos, em diferentes plataformas ou até mesmo em uma plataforma própria.

 

"O Sora oferece oportunidades infinitas para a criação de conteúdo diversificado e personalizado, permitindo que os criadores explorem novas formas de engajar seu público e expandir sua presença online. Com essa tecnologia inovadora, o cenário dos vídeos de organização e limpeza, assim como outros nichos, poderia sofrer uma transformação significativa, abrindo portas para a criatividade e a inovação.

No entanto, posso reconhecer que a introdução do Sora, uma ferramenta capaz de criar e personalizar avatares digitais de maneira rápida e eficiente, tem o potencial de transformar a produção de vídeos e personagens. Com o Sora, os criadores podem diversificar seus conteúdos, explorar novos segmentos e plataformas, e até mesmo criar suas próprias marcas ou identidades digitais distintas. Isso pode abrir oportunidades para a inovação e permitir que os criadores alcancem e engajem novos públicos de maneiras criativas".

 

Mike Nelson

Conteudista da The Mobile Television Network

 

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Tags:

Mais vídeos relacionados